domingo, 23 de outubro de 2011

Você sabe o que é ebook?

A palavra ebook é uma abreviação de "eletronic book" ou "livro eletrônico" numa tradução literal. E realmente, ebooks são livros, com a única diferença de estarem no formato digital e não em papel como no livro tradicional.

O ebook pode ser lido na tela de um computador, de um laptop, ou de aparelhos chamados eBook Reader, ou, ainda, impressos em papel comum, por meio de uma impressora. Os dois padrões de ebooks mais conhecidos são o Adobe Reader, da empresa ADOBE que é o formato utilizado nos ebooks ABC-COMMERCE, e o Microsoft Reader da Microsoft.

A principal vantagem do ebook é a sua portabilidade. Como se encontra no formato digital, pode ser transmitido rapidamente por meio da Internet.

Uma segunda vantagem do ebook é o preço. Como seu custo de produção e de entrega é bem mais baixo podem chegar as mãos do leitor por um preço menor que um livro impresso.

E se você não abre mão de ler um livro sentado confortavelmente em sua poltrona favorita, basta imprimir o seu ebook para ter seu texto também em papel.

No site http://ebooksgratis.com.br/ você encontra um monnnnnnte de ebooks legais para baixar e o melhor, como o próprio nome do site já diz : de graça!

Tem livros para todos os públicos inclusive vários livros que já indicamos aqui no blog. Confira alguns livros que você pode baixar:


Fonte: http://www.abc-commerce.com.br/ebook.htm

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Você já ouviu falar em Pedro Bala?


Pedro Bala é o temido líder dos capitães da areia. Tem 15 anos, longos cabelos loiros e uma cicatriz de navalha no rosto. Desde cedo foi chamado assim, desde os seus cinco anos, quando começou a vagabundear nas ruas da Bahia. Hoje tem 15 anos e conhece todas as ruas e becos da cidade. Bala é considerado um herói por seu bando, traz nos olhos e na voz a autoridade do chefe. 
Além de Pedro Bala fazem parte do bando,  o Professor, que lê e desenha vorazmente, sendo muito talentoso; Gato, que com seu jeito malandro acaba conquistando uma prostituta, Dalva; Sem- Pernas, o garoto coxo que serve de espião se fingindo de órfão desamparado; João Grande, o "negro bom" como diz Pedro Bala, segundo em comando; e muitos outros personagens inesquecíveis.
Pedro Bala é personagem do livro de Jorge Amado "Capitães da Areia".
A história foi transformada em um filme que estréia nos cinemas este mês.
Se você não leu a obra aproveite LEIA e depois vá ao cinema e CONFIRA....


segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Portugal à brasileira: "uma nova dica", muito conhecida.

Você já ouviu falar em:


Uma história de uma criança de 8 anos, contada na primeira pessoa, que vê o mundo e todas as coisas como manifestações da voz de Deus. É a aventura da candura e da ingenuidade através dos complexos meandros da fé e dos comportamentos humanos. Criado no seio de uma família extensa, o narrador vai assistindo ao esvaziar da sua casa e à dificuldade de explicar esse fenómeno à luz dos supostos desígnios divinos. Entre o profundamente terno e a delicadeza da infância surge uma necessidade de sobrevivência, um engenho maior do instinto humano que é sempre, neste livro, pautado pela necessidade de amar o próximo.



Ou então . . .

Esta é a história de um menino que, desafiado pelo avô, procura conhecer os mistérios da vida.?Avô e neto vivem num jogo sem fim de perguntas e respostas, enigmas e soluções, procurando, adivinhando e aprendendo sempre. Certo dia, o menino fica sem resposta quando o avô lhe pergunta: Quais são para ti as coisas mais belas do mundo? São as coisas de verdade, como tanto quanto se vê e toca? Ou as coisas invisíveis, aquelas que pensamos, sentimos e sonhamos?
 __________________________________________

Aposto que sim, mas se sua resposta for negativa, preste bem a atenção nessa dica que vamos oferecer a vocês:

Valter Hugo nasceu em Saurimo, Angola, no ano de 1971. Licenciado em Direito, pós-graduado em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea. Vive em Vila do Conde. É um escritor angolano que cresceu em Portugal; e esses livros apresentados logo acima, são de autoria do próprio. Esse autor foi e ainda é ganhador de grande simpatia do público leitor que conferiu a feira literária internacional desse ano, no mês de julho, em Paraty (Rio de Janeiro) onde autografou numa única tarde 400 exemplares de um de seus livros. (fonte: revista Língua, ed. 70. ano 6'. Agosto de 2011).
Numa entrevista a revista Língua, o escritor afirma que sua literatura nasce de maneira espontânea, pois escreve de "improviso", talvez por isso seus livros encantam muitos leitores. O autor possui 4 livros infantis entre mais alguns outros romances:

São eles: O filho de mil homens (2011), a máquina de fazer espanhóis (2010) o apocalipse dos trabalhadores (2008), o remorso de baltazar serapião, vencedor do Prémio José Saramago (2006) e o nosso reino (2004).

Os livros infantis são: O rosto (Agosto 2010), As mais belas coisas do mundo (Agosto 2010), A verdadeira história dos pássaros (2009) e A história do homem calado (2009).





domingo, 16 de outubro de 2011

LITERATURA BRASILEIRA DE ROUPA NOVA

                   
                O Alienista – Machado de Assis”; O Cortiço – Aluísio de Azevedo”;Memórias de um Sargento de Milícias – Manuel Antonio de Almeida”; " A Cartomante" Machado de Assis , dentre outros verdadeiros clássicos da literatura brasileira ganham um reforço de peso junto aos jovens leitores: versões em quadrinhos.

             Os gibis são vistos como facilitadores de leitura, no entanto vale ressaltar que, ao se quadrinizar um livro, a intenção não é fazer com que a leitura do primeiro substitua o segundo, pelo contrário, a idéia é, em um primeiro momento, fazer com que a leitura se torne mais fácil e atraente para que, uma vez entendida, desperte a curiosidade para o original.
O governo federal incluiu 19 álbuns em quadrinhos na lista do PNBE (Programa Nacional Biblioteca na Escola), que distribui livros gratuitamente para escolas dos ensinos médio e fundamental. A lista do PNBE/2009 inclui 600 obras, 300 para o ensino fundamental e 300 para o médio.
                      A maior parte das obras em quadrinhos -14 das 19 selecionadas- ficou com os alunos das séries iniciais. 




                                                                                                              

CORDEL DO FOGO ENCANTADO

 O AMOR É FLME
     O cordel é valorizado como expressão poética de alta significação por escritores do porte de Ariano Suassuna, Carlos Drummond de Andrade, Jorge Amado, Guimarães Rosa, Mario de Andrade, João Cabral de Melo Neto, motivando (e continua a motivar) estudos e pesquisas nas áreas de Antropologia, Folclore, Lingüística, Literatura, História, entre outras.
No Brasil, o cordel surgiu na segunda metade do século XIX e expandiu-se da Bahia ao Pará, antes de alcançar outros Estados. Os folhetos, vendidos nas feiras, tornaram-se a principal fonte de divertimento e informação para a população, que via neles o jornal e a enciclopédia, de maneira quase simultânea.  Os temas eram os mais variados: as aventuras de cavalaria, as narrativas de amor e sofrimento, as histórias de animais, as peripécias e diabruras de heróis, os contos maravilhosos e uma infinidade de outros, que nos chegaram pela Literatura oral da Península Ibérica e que a memória popular encarregou-se de preservar e transmitir.
      Além disso, o poeta nordestino foi incorporando a esse romanceiro, fatos mais próximos do público, ocorridos em seu ambiente social: façanhas de cangaceiros, acontecimentos políticos, catástrofes, milagres e até mesmo a propaganda, com fins religiosos e comerciais.
      Para quem curte o encanto dos cordéis está ai, este belo cordel musicado pela banda CORDEL DO FOGO ENCANTADO.


sexta-feira, 14 de outubro de 2011

A METAMORFOSE - de Franz Kafka

A sugestão de leitura agora vai para um livro pra lá de sinistro... uma novela em que o autor conta a história surpreendente de Gregor Sams, que, em uma certa manhã, acordando  de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso.  A Metamorfose, um livro curtíssimo e cheio de fortes emoções...


Mas pra galera que curte mangá, o livro também existe nesse formato.


Imagine o mundo de cabeça para baixo... Um movimento alarmante prolifera, como um vírus, por todos os cantos... As autoridades não conseguem impedir seu avanço... De repente... a vida nunca mais é a mesma. Trata-se do Armagedom ou do despontar de um novo Gênesis? Baseado no livro de Atos. O MANGÁ METAMORFOSE É TODO COLORIDO!



quinta-feira, 13 de outubro de 2011

FALANDO EM ATUALIDADES?!

Uma linguagem para refletir:

outra visão da então,

Globalização!

Ao ouvir essa música, acompanhe com a leitura da letra!



Globalização é a nova onda
O império do capital em ação
Fazendo sua rotineira ronda

No gueto não há nada de novo
Além do sufoco que nunca é pouco
Além do medo e do desemprego, da violência e da impaciência
De quem partiu para o desespero numa ida sem volta
Além da revolta de quem vive as voltas
Com a exploração e a humilhação de um sistema impiedoso
Nada de novo
Além da pobreza e da tristeza de quem se sente traído e esquecido
Ao ver os filhos subnutridos sem educação
Crescendo ao lado de esgotos, banidos a contragosto pela sociedade
Declarados bandidos sem identidade
Que serão reprimidos em sumária execução
Sem nenhuma apelação

Não há nada de novo entre a terra e o céu
Nada de novo
Senão o velho dragão e seu tenebroso véu de destruição e fogo
Sugando sangue do povo,
De geração em geração
Especulando pelo mundo todo
É só o velho sistema do dragão
Não, não há nenhuma ilusão, ilusão
Só haverá mais tribulação, tribulação

Os dirigentes do sistema impõem seu lema:
Livre mercado, mundo educado para consumir e existir sem questionar

Não pensam em diminuir ou domar a voracidade
E a sacanagem do capitalismo selvagem
Com seus tentáculos multinacionais querem mais, e mais, e mais...
Lucros abusivos
Grandes executivos são seus abastados serviçais
Não se importam com a fome, com os direitos do homem
Querem abocanhar o globo, dividindo em poucos o bolo
Deixando migalhas pro resto da gentalha, em seus muitos planos
Não veem seres humanos e os seus valores, só milhões e milhões de consumidores
São tão otimistas em suas estatísticas e previsões
Falam em crescimento, em desenvolvimento por muitas e muitas gerações

Não há nada de novo entre a terra e o céu
Nada de novo
Senão o velho dragão e seu tenebroso véu de destruição e fogo
Sugando sangue do povo,
De geração em geração
Especulando pelo mundo todo
É só o velho sistema do dragão
Não, não há nenhuma ilusão, ilusão
Só haverá mais tribulação, tribulação

Não sentem o momento crítico, talvez apocalíptico
Os tigres asiáticos são um exemplo típico,
Agora mais parecem gatinhos raquíticos e asmáticos
Se o sistema quebrar será questão de tempo
Até chegar o racionamento e o desabastecimento
Que sinistra situação!
O globo inchado e devastado com a superpopulação
Tempos de barbárie então virão, tempos de êxodos e dispersão
A água pode virar ouro
O rango um rico tesouro

Globalização é uma falsa noção do que seria a integração,
Com todo respeito a integridade e a dignidade de cada nação

É a lei infeliz do grande capital,
O poder da grana internacional que faz de cada país apenas mais um seu quintal
É o poder do dinheiro regendo o mundo inteiro

Ricos cada vez mais ricos e metidos
Pobres cada vez mais pobres e falidos
Globalização, o delírio do dragão!

O cordel na sala de aula!

Como já dizia Francisco Diniz:

Literatura de Cordel


É poesia popular,

É história contada em versos

Em estrofes a rimar,

Escrita em papel comum

Feita pra ler ou cantar.

      O Cordel além de ser lúdico, também pode ser uma ferramenta de ajuda ao professor. Ele pode ser utilizado em muitas disciplinas, um bom exemplo disso é o cordel "Nascimento da pátria amada, idolatrada Brasil!", do autor Kleber Alves da Silva, por meio da poesia são contados fatos que fazem parte da nossa história.



Nascimento da pátria amada, idolatrada Brasil!


Tenho honra em falar

Pra esse povo varonil

Sobre Literatura

Quando aqui ela surgiu

Chamada de quinhentismo:

É a história do Brasil.

No ano 1500

Uma época de conquistas

Portugal fazia parte

Dos países imperialistas

Em 22 de abril

Alguém disse terra à vista.

Foi Caminha quem tratou

De tudo documentar

Encantado com a beleza

Existente no lugar

Escreveu carta a El-Rei:

É terra de se explorar.

A primeira literatura

Foi a carta de Caminha

Falava de nossas índias

Da graça que elas tinham

E de toda a riqueza

Que na Vera Cruz havia.

Não demorou muito tempo

Pra a igreja se inteirar

Da existência de um povo

Ainda por civilizar

Com os escritos dos padres

Os índios a catequizar.

Com os índios catequizados

É fácil a exploração

Suas armas ganhas pra Deus

E a riqueza pra nação

A igreja foi importante

No projeto de expansão.

Dessa forma é que surgiu

A nossa literatura

Atendendo aos interesses

E a ganância da cultura

Que sugou tudo da terra

Minério, madeira, manufatura...

São documentais

De tudo que se deu

Não tem riqueza de detalhes

O quinhentismo que aqui nasceu

Mas tudo o que falamos

Foi assim que aconteceu.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Depois daquela viagem

Olá caros leitores! A indicação de leitura da vez é o livro DEPOIS DAQUELA VIAGEM, de Valéria Piazza Polizzi. Esse livro, apesar de ter sido lançado em 1999, é um livro com uma temática atual e uma linguagem fácil e gostosa de ser lida por qualquer pessoa, principalmente adolescentes. DEPOIS DAQUELA VIAGEM é uma história real sobre como a autora adquiriu o vírus HIV com 16 anos e como aprendeu a lidar com isso.

Em forma de diário, em tom coloquial próprio dos jovens, Valéria relata com bom humor e descontração as suas vivências com os amigos, os namoros, o despertar da sexualidade, a angústia diante dos exames e muitas outras coisas que atormentam qualquer adolescente. O livro é o testemunho vivaz de uma adolescente com sólida formação educacional e familiar que por um desses descuidos cuja razão jamais se alcançará completamente, mantém uma relação sexual sem a utilização do preservativo. Na obra, ela mostra como, de repente, por causa de quatro letrinhas (AIDS), sua vida passou por uma reavaliação radical. Ela expõe, sem meias palavras, como a doença mexeu com sua cabeça e com seus sentimentos. Pelo seu estilo atrativo o livro foi lançado também na Itália, Portugal, Alemanha, Áustria, Espanha e em vários países da América Latina.





Vale muito a pena ser lido, pela grande lição de vida, alegria e coragem!
Quer saber mais sobre a vida da autora e suas outras obras? CLIQUE AQUI

PARA SABER MAIS DE MATEMÁTICA . . .

Para aqueles que gostam e Matemática, e para aqueles que adoram ler, hoje viemos aqui para indicar LOGICOMIX, um livro que fala sobre uma jornada épica em busca da verdade... Que tal?

Numa boa história, o autor consegue fazer com que o leitor viva a vida de outra pessoa - a vida do protagonista. Em LOGICOMIX os autores (gregos) conseguiram esse efeito das boas histórias: por algumas horas, o leitor ocupa o lugar de Bertrand Russell, um dos mais importantes matemáticos do século 20.

O leitor vive o dia em que debaixo de chuva o menino Bertie chega pela primeira vez à casa dos avós, com quem vai morar depois que sua irmã, sua mãe e seu pai desaparecem. Vive as noites em que Bertie passa medos ao ouvir uivos e gemidos fantasmagóricos ecoando pela  enorme casa da avô. Vive o momento no qual pela primeira vez Bertie prova sozinho um dos postulados de Euclides: se dois angulos de um triangulo qualquer sao iguais entao dois lados adjacentes sao iguais. Bertei sente uma onda de prazer e exclama: "É COMO MÁGICA!" o personagem vive o dia em que entra no mausoléu da familia Russell, e descobre que sua irmã, sua mãe e seu pai estao mortos.

imagem ilustrativa do interior do livro

Junto com Bertrand Russell, o leitor viaja pela Europa para conhecer outros matemáticos famosos cara a cara, e encontra Gottlob Frege cuidando de rosas, Georg Cantor no hospicio, Henri Poincaré e David Hilbert no Congresso Internacional de Matemáticos de 1900 (em Paris). E o leitor conversa muito com Alfred North Whitehead, com quem Bertrand passou dez anos escrevendo os tres volumes do Principia Mathematica, com mais de mil páginas, 362 das quais para provar que 1 + 1 = 2 é indiscutivelmente dois.

Assim como Bertrand, o leitor também se apaixona pela linda mulher de Whitehead.
Os autores de Logicomix fazem o leitor entender o que é um matemático - um ser humano como tantos outros, mas também é um tipo de explorador, que investiga as regiões mais remotas de nosso raciocinio.



Assim é LOGICOMIX, quer conhecer?



O livro foi publicado pela editora
WMF Martins Fontes 2010.


















Fonte: Revista Cálculo MATEMÁTICA PARA TODOS {Ano 1 N'1}
Editora segmento: http://www.editorasegmento.com.br/RevistasDetalhes.aspx?item=13

domingo, 9 de outubro de 2011

Brincando e Aprendendo

Depois do livro clip agora temos o livro games, uma forma dinâmica e legal de se aprender sobre literatura, ENEM, português, história, geografia, entre outros.
Acesse e divirta-se:   -----> http://www.livroclip.com.br/livrogames/

Conhecendo os livros

A maior dificuldade quando nos referimos a leitura é encontrar um livro que de fato seja interessante e instigante. Assim, conhecer a temática dos livros é fundamental para que haja esse desejo a leitura. No site http://www.livroclip.com.br/  encontra-se uma variedade de livros em formato de clip, que contam de forma condensada e interativa o contexto de obras literárias.

Aluno: Ler pode se tornar uma ferramente muito importante para seu crescimento intelectual e pessoal. Está em duvidas quanto ao livro que deve ler? Acesse esse site e descubra o livro que mais lhe agrada!

Professor: Quer tornar suas aulas de literatura mais interativas e que de fato estimule seus alunos a leitura dos livros de nossa literatura? Acesse o site e utilize desse recurso didático para dinamizar suas aulas!

Caso tenha dificuldades para acessar os clips nas seguintes paginas também é possível assisti-los: 

sábado, 8 de outubro de 2011

O Pássaro Pintado, de Jerzy Kosinski

      
     O romance conta a história  de um menino .

      Que   nas primeiras semanas da Segunda Guerra Mundial, no outono de 1939, um menino de seis anos de idade, judeu, de pele morena, parecendo  um ciganinho, por isso é tratado com rejeição por todos da aldeia.  Proviniente de uma grande cidade da Europa central, foi enviado por seus pais, como centenas de outras crianças, em busca da segurança de uma aldeia distante.   Mediante farte pagamento , um viajante a caminho do leste Europeu tem a missão de encontrar uma família disposta a cuidar temporariamente da criança. Sem outra escolha os pais lhe confiaram o menino. Ao separar-se da criança os pais acreditavam se este o melhor meio de preservá-la  da guerra. Ele foi morar com uma senhora idosa que acabou morrendo, assim o  menino ficou vagando pela aldeia, sofrendo  todos os tipos de violencia  possíveis e impossíveis de acontecer. "

Leiam  o livro é maravilhoso. Traduçao de Christiano Oiticica e Marina Colasanti

postado por Cléo Ferreira

Português VERSUS brasileiro

           Há 500 anos, os portugueses desembarcaram no Brasil, fazendo de nossa terra uma de suas colônias. Trouxeram na bagagem sua cultutra, seus costumes e sua língua, o portugùês. Esta havia sido enriquecida pelas contribuições dos povos que tinham passado pela  Penísula Ibérica, como os celtas, os iberos, os romanos, os godos, os vikings  e os arábes.
           Como   toda língua viva, o português se modifica ao entrar em contato com outros idiomas e receber suas influências. No Brasil, ele se misturou ao tupi e aos dialetos africanos.  Expressões de povos  que vieram para o Brasil, como os italianos e os espanhóis, também se incorporam ao português. Mais recentemente devido à globalização, nossa língua tem absorvido termos do francês e, principalmente, do inglês.
           Apesar das diferenças existentes hoje entre o português falado em |Portugal e no Brasil, a estrutura do idoma é a mesma. O fato de existirem diferenças não é suficiente para chamar a nossa língua de brasileira em vez de portuguesa.
Confira algumas expressões que você usa e cuja origem desconhece:
Italiano: cantina, macarrão,porcelona mortadela, etc.
Francês: abajur,omelte,avenida,chassis, menu, pose,tricô, etc.
Tupi: abacaxi, urubu, arara, caju, tatu,maracujá, etc.
Árabe:açougue, arroz, almoço, açucar,algodão, etc.
Africano:samba, batuque, bagunça, senzala,acarajé,etc.
Inglês:lanche, clube,bife, sanduíche, filme, etc
Espanhol: mochila,pirueta, lagartixa, galã, etc.

FONTE: GRAMÁTICA DA LÍNGUA PORTUGUESA. São Paulo, Saraiva, 1995.

POSTADO POR  CLÉO  FERREIRA

ROCK EDUCATIVO


SUJEITO SIMPLES - PRONOMES PESSOAIS




Um jeito super, hiper, mega legal de curtir um ROCK EDUCATIVO!!!

Aula de Língua Portuguesa - ADVÉRBIO

Contando e aprendendo um pouco mais...


Pessoal! essa é também uma maneira bem legal e descontraída de aprender sobre os advérbios, na perspectiva da Língua portuguesa!!!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

. . . Você sabe o que é o HAPPENING?


O HAPPENING segundo o poeta e artista plástico Jean Jacques Lebel "é arte plástica, mas sua natureza não é exclusivamente pictórica, é também cinematográfica, poética, teatral, alucinatória, social-dramática, musical, política, erótica e psicoquímica. Não se dirige unicamente aos olhos do observador, mas a todos os seus sentidos".

O termo happening foi utilizado como modalidade artística pela primeira vez, em 1959, pelo artista Allan Kaprow. Outros artistas importantes são Claes Oldenburg e o compositor John Cage.

O happening é, em suma, um acontecimento que diferencia-se da performance pela fundamental participação do público, o que gera um caráter de imprevisibilidade. No que se refere à performance, ela é mais cuidadosamente elaborada e pode ou não ter a participação dos espectadores. Neste último caso, a performance pode ser registrada e documentada em fotografia e/ou vídeo - e este ser o produto do trabalho a ser exibido.

E outro ponto muito importante:
*O happening, ajuda na difusão e uma ou várias leituras*









quarta-feira, 13 de julho de 2011

QUEM FAZ O TEATRO

Para que  aconteça uma peça teatral, é preciso o trabalho de outras pessoas além dos atores.


DRAMATURGO-  é quem escreve a peça. O mais conhecido dramaturgo do  Ocidente foi o ingles WILLIAN SHAKESPEARE , que viveu no século XVI, em Londres, na Inglaterra. Suas histórias  falavam de reis e rainhas e também de pessoas do povo. O drama  Romeu e Julieta é uma de suas histórias mais famosas.
DIRETOR-  é quem orienta o trabalho dos atores e dos demais envolvidos na produção de uma peça. Uma de suas funções é fazer a marcação. Às vezes ele diz até mesmo onde e quando o ator deve fazer determinado gesto. A principal função do diretor é observar e orientar o ator sobre a sua forma de representar em cada momento.
CENÓGRAFO-  criar os cenários das peças.
CENOTÉCNICO- faz os cenários.
ADERECISTA- cria máscaras e outros objetos usados em cena
ILUMINADOR- cria os efeitos de luz
MARQUIADOR- cria e cuida da maquiagem dos atores
FIGURINISTA- faz o desenho das roupas, que no teatro são chamados de figurinos. 

Essa peça é um ótimo exemplo  de teatro, através deste é possível produzir
outras peças interessantes.  Cléo Ferreira


segunda-feira, 11 de julho de 2011

Ditadura militar: Pra dizer que não falei das flores


 "Pra dizer que não falei das flores" é uma música de Geraldo Vandré que trata da ditadura militar, momento de grandes revoltas, mas também de enormes conquistas para o povo brasileiro. Em um momento em que os militares comandavam o país e escravizavam a mente e os direitos da população, a musica foi dos recursos que expressavam a angustia e os desejos do povo brasileiro.  



A importância dessa musica para a história do Brasil é incontestável, muito se fala dela até hoje, como também são inúmeras as interpretações dessa mesma canção, que hoje pode abranger significados ainda maiores, já que supostamente não somos regidos por militares. Atualmente, quando fazemos menção a essa musica, estamos nos referindo as inúmeras mazelas em que sobrevive a sociedade brasileira e que hoje aflige       
 o desenvolvimento de nosso país.
Atualmente um dos interpretes dessa musica é a banda charlie brown jr, que traz uma abordagem bem inovadora para o publico jovem, porém sem perder a essência original da canção.



Levar canções de um contexto social tão importantes quanto essa musica para sala de aula é transformar um contexto em realidade, seja para analise da própria composição, como também analise histórica da mesma.
Assim, quando fazemos esse tipo de trabalho com alunos é importante que procuremos atualizações para que torne  a musica mais aceitável, e logo  possa torna-la um contudo de apoio no ensino/aprendizagem.

sábado, 2 de julho de 2011

Lua Nova

LITERATURA ESTRANGEIRA

No aniversário de 18 anos de Bella, Edward e os outros Cullen fazem uma festa especial para ela na sua mansão. Porém, ao abrir um dos presentes, Bella acaba se cortando e deixa os vampiros sedentos (com exceção de Carlisle).Edward fica transtornado por colocar Bella repentinamente em perigo, e decide mudar-se com sua família (deixando Bella para trás).Para ser mais fácil a partida e para Bella poder seguir sua vida como se nada tivesse acontecido, Edward diz a Bella que não a ama.Cinco meses depois da partida de Edward,  Bella fica doente por não ter  Edward. 







Stephenie Meyer nasceu na véspera de Natal, em Hartford, Connecticut, mas vive em Phoenix, no estado do Arizona desde os quatro anos de idade. É lá que vive com o seu marido e os seus três filhos. Licenciou-se em Literatura Inglesa, pela Brigham Young University. Após a publicação do seu primeiro romance, Twilight (entre nós publicado com o titulo Crepúsculo), Stephenie Meyer foi considerada "como uma das mais promissoras novas escritoras de 2005" (Publishers Weekly).



Eclipse (2008)


Crepúsculo (2008)


Lua Nova (2008)


Nómada (2009)


Amanhecer (2009)


¨ Este livro é  maravilhoso,  faz o leitor  viajar pelo mundo sombrio dos vampiros e lobisomens e estes
travam batalhas constantes entre o bem o mau. " ( Laís Ferreira)






quarta-feira, 29 de junho de 2011

Murmúrios da tarde...Castro Alves

Castro Alves, obviamente, dispensa apresentações. Trata-se de um dos maiores poetas brasileiros, com certeza, um dos mais inspirados de toda literatura de língua portuguesa. A beleza lírica, a musicalidade e o ritmo empolgantes, a incrível naturalidade de fluência, a riqueza das imagens, a arrebatada grandiloquência fazem de Castro Alves um dos poetas mais adequados para a declamação. Sua obra é poesia pura, nascida do fundo da alma. Não tivesse morrido com apenas 24 anos, onde chegaria este gênio da poesia?

O poema abaixo é um dos meus favoritos de Castro Alves, impregnado de um profundo Romantismo. É, sem dúvida, um dos mais belos de nossa literatura. Na imagem que acompanha o poema, o quadro "A Floresta", de Camille Pissarro.




Murmúrios da Tarde



Ontem à tarde, quando o sol morria,

A natureza era um poema santo,

De cada moita a escuridão saia,

De cada gruta rebentava um canto,

Ontem à tarde, quando o sol morria.

Do céu azul na profundeza escura



Brilhava a estrela, como um fruto louro,

E qual a foice, que no chão fulgura,

Mostrava a lua o semicirc'lo d'ouro,

Do céu azul na profundeza escura.

Larga harmonia embalsamava os ares!

Cantava o ninho-suspirava o lago...



E a verde pluma dos sutis palmares

Tinha das ondas o murmúrio vago...

Larga harmonia embalsamava os ares.

Era dos seres a harmonia imensa,

Vago concerto de saudade infinda!

"Sol — não me deixes", diz a vaga extensa,



"Aura-não fujas", diz a flor mais linda;

Era dos seres a harmonia imensa!

"Leva-me! leva-me em teu seio amigo"

Dizia às nuvens o choroso orvalho,

"Rola que foges", diz o ninho antigo,

'Leva-me ainda para um novo galho...



Leva-me! leva-me em teu seio amigo."

"Dá-me inda um beijo, antes que a noite venha!



Inda um calor, antes que chegue o frio..."

E mais o musgo se conchega à penha

E mais à penha se conchega o rio...

"Dá-me inda um beijo, antes que a noite venha!



E tu no entanto no jardim vagavas,

Rosa de amor, celestial Maria...

Ai! como esquiva sobre o chão pisavas,

Ai! como alegre a tua boca ria...

E tu no entanto no jardim vagavas.

Eras a estrela transformada em virgem!



Eras um anjo, que se fez menina!

Tinhas das aves a celeste origem.

Tinhas da lua a palidez divina,

Eras a estrela transformada em virgem!

Flor! Tu chegaste de outra flor mais perto,



Que bela rosa! que fragrância meiga!

Dir-se-ia um riso no jardim aberto,

Dir-se-ia um beijo, que nasceu na veiga...

Flor! Tu chegaste de outra flor mais perto!...

E eu, que escutava o conversar das flores,

Ouvi que a rosa murmurava ardente:



"Colhe-me, ó virgem, não terei mais dores,

Guarda-me, ó bela, no teu seio quente...

"E eu escutava o conversar das flores.

"Leva-me! leva-me, ó gentil Maria!"

Também então eu murmurei cismando...

Minh'alma é rosa, que a geada esfria...



Dá-lhe em teus seios um asilo brando...

"Leva-me! leva-me, ó gentil Maria!..."

terça-feira, 28 de junho de 2011

UM POETA CONSAGRADO.

Todos nós, que gostamos de poesia, conhecemos estes versos de Vinicius de Moraes:


"De tudo ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento."

(Soneto de Fidelidade)



E lindo, porém com uma outra face histórica, é o poema A Rosa de Hiroshima:

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas oh não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroxima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada

Escrito sob o influxo dos horrores da Segunda Guerra Mundial e, em especial, sob o impacto moral das explosões atômicas, “A Rosa De Hiroxima” é um poema bonito e forte.

Agora, durante mais uma guerra-massacre sem rima nem razão, vale a pena reler, repetir, cantar e recitar esse poema onde seja possível...

Gostou? Comente...



Você encontrará mais em:
www.algumapoesia.com.br
Ou, no livro:
Vinicius de Moraes

In Antologia Poética
José Olympio, 20a. ed., Rio de Janeiro, 1981

 

UM POETA MATOGROSSENSE. UM POETA NOSSO.

Eu imagino que você deve pensar muito em: “por que será que não ouvimos falar em poetas daqui? De pertinho da gente?" Talvez por que você ainda não conhece MANOEL DE BARROS.





"Nasci para administrar o à-toa / o em vão / o inútil", avisa o poeta Manoel de Barros numa espécie de profissão de fé. Ele sabe que "o poema é antes de tudo um inutensílio". Por isso seu ofício é inventar palavras, invadir o arco-íris, surpreender formigas.








Nascido em Cuiabá-MT em 1916, o poeta estreou em 1937 com o volume Poemas Concebidos sem Pecado. De lá para cá, já publicou quase duas dezenas de títulos e, a partir dos anos 80, conquistou a consagração. Os poemas de Manoel de Barros são marcados por uma sistemática irreverência com a lógica e o bom-comportamento das palavras. Seu trabalho é composto por uma poesia que "rola no chão" com os pequenos absurdos do dia-a-dia. Uma poesia marcadamente do interior, do Pantanal, que vive na proximidade de gente, bicho e planta. Uma poesia escrita por quem aprendeu sozinho que "uma árvore bem gorjeada passa a fazer parte dos pássaros que a gorjeiam".

Aprecie um de seus poemas:

SEIS OU TREZE COISAS QUE EU APRENDI SOZINHO

Com cem anos de escória uma lata aprende a rezar.

Com cem anos de escombros um sapo vira árvore e cresce por cima das pedras até dar leite.

Insetos levam mais de cem anos para uma folha sê-los.

Uma pedra de arroio leva mais de cem anos para ter murmúrios.

Em seixal de cor seca estrelas pousam despidas.

Mariposas que pousam em osso de porco preferem melhor as cores tortas.

Com menos de três meses mosquitos completam a sua eternidade.

Um ente enfermo de árvore, com menos de cem anos, perde o contorno das folhas.

Aranha com olho de estame no lodo se despedra.

Quando chove nos braços da formiga o horizonte diminui.

Os cardos que vivem nos pedrouços têm a mesma sintaxe que os escorpiões de areia.

A jia, quando chove, tinge de azul o seu coaxo.

Lagartos empernam as pedras de preferência no inverno.

O vôo do jaburu é mais encorpado do que o vôo das horas.

Besouro só entra em amavios se encontra a fêmea dele vagando por escórias...

A quinze metros do arco-íris o sol é cheiroso.

Caracóis não aplicam saliva em vidros; mas, nos brejos, se embutem até o latejo.

Nas brisas vem sempre um silêncio de garças.

Mais alto que o escuro é o rumor dos peixes.

Uma árvore bem gorjeada, com poucos segundos, passa a fazer parte dos pássaros que a gorjeiam.

Quando a rã de cor palha está para ter — ela espicha os olhinhos para Deus.

De cada vinte calangos, enlanguescidos por estrelas, quinze perdem o rumo das grotas.

Todas estas informações têm soberba desimportância científica — como andar de costas.


Gostou? Saiba mais sobre ele nos livros:

Manoel de Barros
"Desejar Ser"
In Livro Sobre Nada (1966-1998)
Ed. Record, 3a. ed., Rio de Janeiro, 1996
"VII", "Seis ou Treze Coisas... (2)"
In Gramática Expositiva do Chão
(Poesia Quase Toda)
Ed. Civ. Brasileira, Rio de Janeiro, 1990


E, não se esqueça de nos contar o que achou dele, comentando!

Jogo de Literatura


V


Você se lembra de personagens, acontecimentos e estilos de escrita dos livros que já leu ou ouviu falar?
A revista nova escola disponibiliza um jogo on line para você avaliar seus conhecimentos sobre 25 livros nacionais e estrangeiros relacionando os trechos apresentados às respectivas obras. São diversos livros de autores clássicos e contemporâneos.

Dê um clique no link abaixo e bom jogo!!

http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/pratica-pedagogica/jogo-literatura-582623.shtml

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Um garoto chamado Rorbeto

Que o rapper Gabriel o Pensador manda bem nas letras de suas músicas nós já sabemos...Mas você sabia que além de talentoso com o rap, Gabriel também é autor de um livro que é um sucesso e ganhou até o mais celebrado prêmio da literatura nacional, o Jabuti. O nome do livro é "um garoto chamado Rorbeto", no livro são abordados temas como discriminação ao analfabeto, intolerância e tudo de uma forma muito leve num texto muito gostoso de ler. Olha só um trechinho do livro:

                                          Um garoto chamado Rorbeto
                                                Gabriel o Pensador

Era uma vez um menino que era muito atrapalhado
O nome dele era esquisito porque foi escrito errado
É que o pai se atrapalhava, sempre, sem parar.
E lhe deu um nome com uma letra fora do lugar

Quando o menino nasceu
O doutor viu que era homem
E falou para os pais dele: Já escolheram o nome?
Mas seu pai não tinha tido escola, era analfabeto,
Não sabia nem falar direito
E falou RORBETO

O Doutor    tava   com   pressa   e   anotou     assim    correndo
O seu   pai    ficou   olhando   como   se   estivesse    lendo
Mas   não   entendia   as   letras   porque   não   sabia    ler
O Doutor   mostrou   pro   pai  :
___O    nome   é   esse ?
___ Pode   ser.

A    mãe   tav a   tão   feliz    que   nem   prestou   atenção
Esperou     por    nove    meses    com    o     bebê    ao    coração  
E   ele    nasceu    com     saúde, trazendo    orgulho    e    amor
"Bem     vindo    seja    Rorbeto!Obrigada,    tchau,     Doutor!"

O   tempo    passou    feito    o    rio, correndo  ,    fazendo    Rorbeto    crescer.
E    um   dia    ele    quis    ensinar    o   seu    pai,    já    velhinho,    a    ler    e    a    escrever.
O    pai   que     nunca    teve    escola, gostou    da     ideia    e    pegou    uma   caneta

Roberto    lembrou-se ,    sorrindo,    do    dia    em    que    sua    mulher    deu     á    luz    um    bebê
E     sorrindo, falou    para    o    filho :
"Eu    errei!    O    seu    nome    seria    ROBERTO"

Mas    o     filho    falou:
"Não     errou,    não    Senhor! O  amor    faz    tudo    certo!"


Não       é       lindo !!!!!Com    certeza    é     um    livro   que    encanta      desde     os      leitores    mais    pequeninos    aos    mais     crescidinhos   como     nós.......

Boa   Leitura!!!!